segunda-feira, 4 de abril de 2011

É SEMPRE MAIS FELIZ QUEM MAIS AMOU

“É sempre mais feliz, quem mais amou, e este sempre fui eu...
Estes versos fazem parte de uma canção na voz maravilhosa de Júlio Iglesias. Encerram verdade indiscutível, você não acha?
Repito: “é sempre mais feliz quem mais amou”.
O próprio Deus é definido AMOR. Deus é Amor!
Ah se o mundo se movesse no amor! já pensou? Quando se fala em Amor, só se pode associá-lo a Jesus que deu a maior prova de amor no gesto de dar a vida. Ele deu a vida por nós. Deu tudo, até a última gota de sangue; na cruz, ainda nos deu Maria como Mãe.
Pensando na cruz para mim, neste dias, fica difícil não ter em mente aquele crucificado sem braços que está na capela da penitência, do Convento da Penha.
E quer saber de uma coisa? Pensando bem, estou achando que aquele Cristo sem braços tem mais sentido do que se possa imaginar. Com seu gesto redentor, Jesus já nos salvou, mas a salvação operada por Ele precisa ser confirmada (ratificada) por nós, pois, Ele quer precisar de nós para continuar salvando o mundo. Aqueles braços que faltam naquele corpo na cruz, devem ser os nossos braços, os quais devemos colocar à disposição e a serviço da divulgação da mensagem para que o Reino de Deus venha a nós.
Portanto, cada um deve dizer: no lugar dos braços que faltam a Cristo, naquela cruz, devem ser colocados os meus braços. E que ninguém fique pensando que não faz parte “desta”, pois, “ninguém é tão pobre a ponto de não ter o que oferecer”.
Santa Maria, mãe de Deus e mãe dos pobres, que te fizeste co-redentora, faz a todos saberem desde aquela dona-de-casa cujos serviços domésticos lhe absorvem todo o tempo, ao taxista, ao médico, ao carpinteiro, ao comerciante, ao promotor de justiça, ao gari, a todos enfim, que neste sentido devem oferecer todos os trabalhos, com a fadiga que deles decorre; que tudo que fazem deve ser feito, como se seus braços fossem os de Jesus Cristo na hora do calvário e suas ações concorram para que possa ser provado o quanto é mais feliz, quem mais amou.

Do Programa CINCO MINUTOS COM MARIA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário